quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Imagina em Moçambique

A   DSF – Douleurs sans Frontières e o CREI – Centro de Recursos para a Educação Inclusiva, Eduardo Mondlane na Macia, com apoio financeiro da Comissão Europeia, convidaram a Imagina a estar em Moçambique entre 4 e 11 de Maio de 2014 para capacitar os profissionais CREI e das 26 escolas do Projecto A Escola é um lugar especial  a utilizar o software inclusivo da Imagina: Comunicar com Símbolos, o invento 2,  assim como apresentar e explorar outros recursos inclusivos.
Ambos os softwares permitem a tradução de texto escrito em símbolos ou imagens, a utilização de síntese de voz, a criação de grelhas interactivas e criação de materiais pedagógicos mais apelativos e adaptados às necessidades de cada criança.
Serão ainda apresentados os novos produtos da imagina: Vox4all e o Oscar Feels.
A Imagina sempre desperta para as questões sociais irá levar livros, material escolar e hardware para os mais carenciados da área de abrangência desse CREI, nomeadamente da Macia, Província de Gaza.
A todos os interessados em participar na palestra da Imagina, que será realizada no dia 5 em Maputo, devem entrar em contacto com Carla ladeira para mais informações, no seguinte endereço:

dsfmoz.aps@gmail.com

terça-feira, 21 de Janeiro de 2014

Crianças moçambicanas estigmatizadas e marginalizadas


Vejam o vídeo do UNICEF:

http://www.theguardian.com/global-development/video/2014/jan/15/mozambique-disabled-children-marginalised-stigma-video?CMP=twt_gu

domingo, 19 de Janeiro de 2014

Ano novo

Passada a época festiva estamos já no grande reboliço dos reencontros e planificações.
Um renovar de energias que lança no horizonte de um novo ano, novos olhares de esperança e  compromisso.

Estamos juntos!!

terça-feira, 3 de Dezembro de 2013

DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

3 DE DEZEMBRO

Este ano, a DSF associa-se à Associação dos Cegos e Amblíopes de Moçambique (ACAMO), Delegação-Gaza para as comemorações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

A semana e o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência contame ste ano com o seguinte programa:
Nr
Hora
Data
Actividade
Local
Participantes
Responsavel
1
14h
26.11.13
- Lançamento da semana da pcd
-Debate na TVM: integração da pcd na sociedade
Marian Ngoabi
Governo, Pessoas com deficiencia e comunidade em geral
FAMOD/ACAMO
2
09-15h
27.11.13
- Campanhas de advocacia

Direção Provincial dos transportes:
Astro gaza, Direção Provincial da Saude, Direção Provincial das Obras publicas,  2 comuniddes: centro dos bairros Coca-missava e Patrice Lumumba
Direcções provinciais, Pessoas com deficiencia e comunidade
ACAMO e outras associações
3
09-14h
28.11.13
- Realizar um debate na RX:Integração da pcd na sociedade
- Visita a RM
- Audiência com sua Excia Governador: Desafios do FAMOD na implementação da convensão internacional sobre os direitos da pcd.
FAMOD, Governo e Ong’s afins


Pcd

Pcd e Governo
RX

RM

Gabinete de sua Excia Governador
FAMOD/ACAMO
4
08h30-12h30
29.11.13
- Realizar um Workshop
Tema1: deficiencia como um assunto transversal
Tema2: Comunicaçao e acessibilidade.Avanços e desafios.
Governo
FAMOD
Gestores de escolas
Professores
Encarregados
ONG’s afins
Lideres  religiosos

Cidade de Xai - Xai
FAMOD/Parceiros
5

01.12.13
Participar nas actividades do dia mundial de Luta contra o SIDA



FAMOD/ACAMO
6
9h
02.12.13
Encontro de concertação
Governo e FAMOD
Cidade de xai-xai
FAMOD/ACAMO
7
8h
03.12.13
Realização das cerimónias centrais
Governo/FAMOD
Distrito de Xai- xai, localidade Fidel Castro
DPMAS/FAMOD e ACAMO

Exultamos a participação de todos, por uma sociedade mais justa e inclusiva.

Carla Ladeira

quinta-feira, 21 de Novembro de 2013

Paralisia Cerebral

"A Paralisia Cerebral (PC) refere-se a um grupo de desordens no desenvolvimento do controlo motor e da postura, como resultado de uma lesão não progressiva aquando do desenvolvimento do sistema nervoso central.

A lesão pode ocorrer no nascimento, anteriormente ou no período que se segue. Não agrava, não progride, mas causa limites na actividade.
A PC afecta aproximadamente 2 em cada 1000 indivíduos. É o problema de desenvolvimento mais comum nas crianças. A incapacidade mais visível é a motora que torna a mobilidade difícil. Frequentemente, as crianças têm problemas de marcha e/ou em usar adequadamente os braços e as mãos.
Muitas crianças com PC têm, também, outras alterações que resultam de lesão cerebral, as quais incluem, por exemplo, problemas de cognição, comunicação, percepção, atenção, concentração e/ou epilepsia.

_________________________________________________________________________

Perguntas Frequentes:

O que é a Paralisia Cerebral?
A criança com Paralisia Cerebral tem uma perturbação do controlo da postura e movimento, em consequência de uma lesão ou anomalia cerebral que afecta o cérebro em período de desenvolvimento.
Algumas crianças têm perturbações ligeiras, quase imperceptiveis, que as tornam desajeitadas a andar, falar ou usar as mãos.
Outras são gravemente afectadas com incapacidade motora grave, impossibilidade de andar e falar, sendo dependentes nas actividades de vida diária.
Entre estes dois extremos existem os casos mais variados.
De acordo com a localização das lesões e áreas do cérebro afectadas, as manifestações podem ser diferentes.
Os tipos mais comuns são:

Espástico – Caracterizado por paralisia e aumento de tonicidade dos músculos resultante de lesões no córtex ou nas vias daí provenientes. Pode haver um lado do corpo afectado (hemiparésia), os quatro membros afectados (tetraparésia) ou os membros inferiores (diplegia).

Disquinésia – (Atetose/Coreoatetose ou Distonia) – Caracterizada por movimentos involuntários e variações na tonacidade muscular resultantes de lesões dos núcleos situados no interior dos hemisférios cerebrais (Sistema Extra-Piramidal).

Ataxia- Caracterizada por diminuição da tonicidade muscular, incoordenação dos movimentos e equilíbrio deficiente, devidos a lesão ou anomalia no cerebelo ou das vias cerebelosas.

A criança com Paralisia Cerebral pode ter inteligência normal ou até acima do normal, mas também pode ter atraso intelectual, não só devido às lesões cerebrais, mas também pela falta de experiência resultante das suas deficiências. Os esgares da face e deficiência na fala, devidos ao descontrolo dos movimentos, podem fazer aparentar um atraso mental que na realidade não existe.
Além da perturbação motora há também, muitas vezes, défices sensoriais, deficiência visuais e auditivos, dificuldades percetivas, deficiência na fala e epilepsia, o que torna o quadro mais complexo.

Quais as causas da Paralisia Cerebral?
Como o seu filho, outras crianças podem nascer com Paralisia Cerebral. Em cada 1000 bebés que nascem, 2 podem ser afectados por Paralisia Cerebral.
A Paralisia Cerebral não é, geralmente, devida a qualquer deficiência nos pais ou doença hereditária. Pode ser causada por hemorragias, deficiência na circulação cerebral ou falta de oxigénio no cérebro, traumatismo, infecções, nascimento prematuro ou icterícia grave neonatal.
Não se sabe exactamente, num grande número de casos, como e porquê foi afectada, mas sabe-se que houve uma lesão ou anomalia geralmente antes do nascimento, na altura do parto, ou após este, que é responsável pela deficiência."

(in «A CRIANÇA COM PARALISIA CEREBRAL», Guia para os Pais e Profissionais de Saúde e Educação. Federação das Associações Portuguesas de Paralisia Cerebral)


Por: Carla Ladeira

segunda-feira, 11 de Novembro de 2013

Jornalistas de Palmo e Meio aprendem a lidar com Crianças com Deficiência

A DSF, na pessoa da gestora e especialista sénior na área da educação inclusiva e deficiência, Carla Ladeira, participou no dia 1 de Novembro nesta excelente formação.

Encontrem de seguida o artigo noticioso, publicado pelo ROSC:
DilsonO objectivo da formação era bastante claro: ajudar a transformar os programas infantis em programas inclusivos que ultrapassam barreiras e evidenciam a vida humana tal
como ela é. A formação que teve a duração de cinco dias foi o suficiente para os cerca de 30 pequenos locutores e apresentadores de programas infantis da Radio Moçambique e da Televisão de Moçambique em Maputo despertarem sobre a necessidade de se fazer programas infantis “de todos para todos”.
Dilson dos Santos (13 anos) frequenta a 8ª classe e apresenta um programa infantil na Radio Moçambique, emissor provincial de Maputo reconhece a mais-valia da formação para ele como locutor e como pessoa.
“Quando eu entrei nesta formação não sabia nada sobre pessoas com deficiência. Era uma pessoa que sem saber, no dia-a-dia usava rotulações e chamava nomes. Mas aprendi muito sobre rotulações, preconceitos, mitos e tabus que muitas vezes contribuem para que as pessoas com deficiências sejam descriminadas. Com esta formação eu já tenho mais conhecimentos e nos programas que faço vou procurar tornar mais inclusivos. Vou procurar incluir temas sobre a deficiência, convidar crianças com deficiência a participarem e vou também sensibilizar outras crianças que ouvem meus programas sobre a importância de não descriminar as outras crianças em função de alguma diferença”.
Uma diferença que afinal torna o mundo muito mais igual do que parece, e que lidar com ela precisa apenas que mais crianças e adultos virem as costas a ignorância e passem a prestar mais atenção no que somos iguais.
Por sua vez, Rosa Marlene (16 anos) que frequenta a 11ª classe considera ter sido esta uma experiencia única que contribuiu para algumas descobertas que vão trazer mudançasRosa para construção de uma sociedade que afinal deve ser “de todos para todos”.
“Todos nos como comunicadores saímos desta formação com uma visão diferente sobre a pessoa com deficiência. Descobrimos que os nossos programas que falam especialmente da criança não eram inclusivos e não tinham em conta os direitos das crianças com deficiência. O nosso principal objectivo é ajudar a perceber que a pessoa com deficiência também faz parte da nossa sociedade e tal como nos tem direito de brincar, aprender, a ter amigos, a ir a escola e a intervir em qualquer área ate nos trabalhos de casa a criança com deficiência também deve ser incluída”.
Na verdade a questão de estigma, mitos e preconceitos em relação a criança com deficiência posicionam-se como um dos principais factores que representam barreiras para a participação da criança.
RuiApesar de Moçambique ser um dos signatários da convecção internacional dos direitos da criança com deficiência torna-se necessário envolvimento de todos os sectores para que a materialização destes direitos sejam uma realidade. Um realidade que para Rui Maquene, especialistas para a área da deficiência depende do tipo e nível de informação que as pessoas tem sobre o assunto.
“Todas as organizações da sociedade civil, todo o sector privado, todas as instituições do estado e todos aqueles homens de boa vontade são chamados a participar na promoção dos direitos da criança com deficiência. Porem ninguém vai promover algo que não sabe o que é. Esta formação foi um ponto de partida para educar, sensibilizar e aconselhar os meninos sobre a forma positiva de como vivermos com a criança com deficiência e como podemos ser exemplo de uma sociedade que esta preocupada com o princípio de igualdade de oportunidade para todos”.
Durante a formação que decorreu com apoio do ROSC, UNICEF e FORCOM, os pequenos comunicadores produziram um plano de acção que vai servir de base para alargar as antenas ao alcance de outras crianças que também tem direitos do que é “de todos para todos”.

Retirado de:

http://www.rosc.org.mz/index.php/noticias/item/177-jornalistas-de-palmo-e-meio-aprendem-a-lidar-com-crian%C3%A7as-com-defici%C3%AAncia.  consultado a 5 de Novembro de 2013

Carla Ladeira

sexta-feira, 18 de Outubro de 2013

O que é a apraxia?

Fonte: http://www.slideshare.net/Psicomotricidade/agnosiaapraxiaafasiadislexia-e-epilepsia-9650177


Apraxia significa perda da capacidade de realizar movimentos motores anteriormente aprendidos, em resultado da existência de disfunções nos hemisférios cerebrais.
Existem vários tipos de apraxia que podem ser classificados de acordo com as suas características.

O vídeo que se segue apresenta uma Terapeuta da Fala que explica em pormenor estas características:



por Carla Ladeira